I Encontro Brasileiro de Saúde Trans

O I Encontro Brasileiro de Saúde Trans, que aconteceu de 1 a 4 de novembro foi um sucesso!! Confira as notícias sobre o que aconteceu!! Em breve, novos cursos e eventos!!

A Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), em parceria com a Coordenação Estadual de IST/AIDS e apoio do Programa Municipal de DST-AIDS da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, Departamento de IST-AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (UNAIDS-Brasil), Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (UNESP-Botucatu), Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Núcleo de Estudos de Gênero Pagu da UNICAMP, Aids Healthcare Foundation (AHF), Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, ONG Ecos Comunicação em Sexualidade, Fóruns e Redes de movimentos sociais de Travestis e Transexuais, organizou o I ENCONTRO BRASILEIRO DE SAÚDE TRANS, realizado nos dias 1, 2, 3 e 4 de novembro deste ano, no Teatro Marcos Lindemberg, Universidade Federal de São Paulo (Rua Pedro de Toledo, 697 - Vila Clementino, São Paulo –SP).
 

O encontro contou com a participação de membros da World Professional Association for Transgender Health (WPath), além de palestrantes nacionais e internacionais com expertise em populações transgênero. Durante este evento, abordou-se temas de interesse da população trans, profissionais de saúde e pesquisadores, como políticas públicas específicas , identidade de gênero – aportes teóricos e conceituais, despatologização e seu impacto sobre o acesso, contexto e demandas da população trans no Brasil hoje, o papel da militância, empregabilidade e sua relação com o direito à saúde física e mental, direito ao reconhecimento da identidade (nome/gênero/sexo), acesso e avanços das tecnologias de modificação corporal. E ainda enfatizou-se consolidar, fortalecer e promover os vínculos entre pessoas trans, ativistas, gestores e profissionais da saúde para reduzir agravos decorrentes do estigma, preconceito e exclusão em torno desta população e facilitar cada vez mais seu acesso à informação, saúde integral, autonomia e plena cidadania.

O evento promoveu a atualização e discussão de boas práticas em saúde voltada à população de homens trans, mulheres transexuais e travestis, proporcionou um amplo ambiente de discussão multiprofissional de promoção de boas práticas de cuidados à saúde das pessoas trans e o enfrentamento da transfobia, além de reunir as representaçōes das comunidades trans e profissionais da saúde para criação da Associação Brasileira de Saúde Trans ( BRAZILIAN PROFESSIONAL ASSOCIATION FOR TRANSGENDER HEALTH - BRPATH).